Mirage Vol2
Conceito visual e arte digital para capa do livro Mirage Vol2 que integra o projeto independente de ficção e narrativa multimidiática colaborativa da editora Coverge. [Visual concept and digital art for the cover of the book Mirage Vol2 that integrates Coverge's independent collaborative and multimedia narrative fiction project.]
Conceito: "Se nós não as vemos, não significa que não estão lá" - Sean Carroll, sobre as dimensões ocultas. Sobre uma dimensão que se move apenas em um sentido - como um fundo sólido, temos uma nova dimensão em uma camada superior, linhas que percorrem perspectivas diferentes, formando um grid que se encontra em pontos. Em sua superfície, uma terceira dimensão que tem profundidade, textura, e distanciando-se dela, visualizamos seu movimento, um verme, uma corda, uma tira de DNA. Do micro ao macro, as dimensões se intercalam e se sustentam. Uma sobre a outra, uma dentro da outra. Em uma quarta dimensão - o tempo surge. O espaço se reocupa em lapsos genéticos, em repetições e distanciamentos. Em uma evolução invisível mas presente. Fazendo com que todas as outras dimensões coexistam em uma harmonia inesperada. Na dança espacial da vida. Que perpetua, evolui, regride, transmuta - transcende. O legado do construto de algo efêmero, paradoxal e permanente. Através de uma prorpriedade questionável. A quinta dimensão - a memória. Percebida ou não, ela está lá, De algum modo, necessária e incerta, endeusada como a mais poderosa de sua época - seja esta qual for - Mnemosine, a personificação da memória - ainda é a incógnita que nos move - em tempos de determinismo tecnológico e dígitos exponenciais, é a dimensão intangível que envolve genes, evolução e consciência. Porém na era digital - torna-se editável. Dimensões binárias e decimais que estão entre nós o tempo todo. Em todas as camadas. Acredite se quiser, elas estão lá, em algum lugar. Mirage Vol2, é talvez, uma forma de traduzir esse paradigma.